VERÃO - CRMV-SC explica os mecanismos de compensação de calor dos animais

14 de janeiro de 2022

Uma forte onda de calor se aproxima do nosso Estado e neste momento é preciso uma atenção especial aos nossos animais.Para enfrentar as temperaturas elevadas o corpo dos animais possui quatro mecanismos de compensação:

Condução: Onde o calor é transferido do corpo para uma superfície mais fria através do contato.
Convecção: Onde o calor é liberado para o ambiente através do fluxo de ar sobre a superfície corporal.
Evaporação: Quando um líquido se transforma em vapor, como na transpiração em humanos/cavalos e na respiração ofegante em cães (e, em menor grau, em gatos).
Radiação: O processo de liberação de calor para o ambiente. É efetivo quando a temperatura ambiente é inferior à temperatura corporal.

Pode-se categorizar os danos causados pelo calor em quatro estágios:
Estresse por calor: A temperatura corporal central é normal e os sinais clínicos são leves com desconforto.
Manifestações musculares pelo calor: A temperatura ainda é normal, mas pode-se observar claudicação ou dificuldade para andar.
Exaustão de calor: A temperatura corporal central está normal, diminuída ou levemente aumentada. Os sinais clínicos são mais graves e incluem fraqueza, desmaios e ansiedade.
Insolação: A forma mais grave das lesões causadas pelo calor e pode ser fatal.
Todas as manifestações podem estar relacionadas a desidratação, que é quando o corpo tem menos água do que deveria.

São sinais de desidratação:
Letargia e sonolência. Quando estão desidratados não se sentem bem, são letárgicos e geralmente têm níveis de atividade reduzidos. Filhotes desidratados não são tão brincalhões e dormem mais.
Mucosas pegajosas. O tecido gengival em um filhote bem hidratado é brilhante na aparência e úmido e escorregadio quando tocado. Quando desidratados terão gengivas secas e pegajosas.
Teste de pele. Um teste comum para desidratação é puxar suavemente a pele solta sobre o dorso do pescoço. Durante a hidratação normal, a pele voltará à posição rapidamente. Mas atenção, idade e raça podem interferir na interpretação do resultado.
Olhos fundos. Animais de estimação severamente desidratados terão perdido quantidades excessivas de líquido, resultando em olhos com aparência opaca e afundada.

O que é insolação?
Condição de temperatura corporal extremamente alta, normalmente entre 40,5 e 43ºC nos cães e gatos. Esta temperatura extrema causa danos graves aos órgãos internos e pode levar ao óbito rapidamente. Existem diversas conformações corporais entre os cães e gatos e dentre eles os que possuem nariz achatado, pelagem longa, densa e escura sofrem mais para dissipar o calor do corpo. Também os idosos ou aqueles que possuam alguma comorbidade que afete os sistemas de compensação, em função da doença (p.ex.: insuficiência respiratória, cardíaca, renal ou diabetes) ou de medicamentos (p.ex. diurético furosemida).

-São sinais de insolação:
-Batimentos cardíacos acelerados
-Respiração ofegante
-Corpo quente
-Aparentar tonturas
-Vômitos
-Inconsciência.

O que devo fazer se eu suspeitar de insolação no meu animal?
-Retirá-lo imediatamente da situação de calor.
-Resfria-lo com água (não gelada) enquanto o encaminha para uma clínica ou hospital veterinário.
-Na viagem de carro para o hospital, deixe o carro o mais ventilado possível e, se preciso, com ar--condicionado ou janelas abertas para aumentar a convecção.
-NÃO os mergulhe em água, pois isso pode aumentar o risco de aspiração de água para os pulmões.

Como posso evitar a insolação em meus animais de estimação?
-Consciência e empatia. Esteja ciente do ambiente do seu animal de estimação.
-Evite qualquer atividade externa quando a temperatura ambiente estiver quente ou sem espaço para se refrescarem.
-Não os deixe no carro sem vigilância.
-Identificar fatores de risco. Se o seu animal de estimação tiver um fator predisponente conhecido, como obesidade ou condições médicas subjacentes, precauções extras devem ser tomadas para evitar que ele seja exposto a altas temperaturas.
-Preste atenção à umidade. A umidade pode tornar mais difícil para os animais de estimação utilizar a evaporação (na respiração). Em dias de alta umidade, reduza as aventuras ao ar livre e deixe-os ficar dentro de casa com ar-condicionado ou ventiladores.
-Aclimatação. Se o seu animal de estimação for participar de um evento de exercícios, certifique-se de que ele foi treinado adequadamente para o nível de esforço e o clima associado.
-Ajuste o cronograma. Tente planejar suas saídas ao ar livre ao anoitecer ou ao amanhecer, quando as temperaturas estão mais amenas.
-Água fresca. Sempre tenha água fresca disponível, porque os animais de estimação dependem muito da evaporação durante o clima quente e podem desidratar facilmente.
-Esteja seguro. Se você está preocupado com o fato de estar muito quente lá fora ou um passeio muito extenuante para o seu animal de estimação, seja cauteloso e deixe para outro dia. A insolação pode ser grave e fatal, então não há razão para arriscar.
-Piscina, nem todos os cães gostam de água, não force sua entrada na água. A introdução ao ambiente aquático deve ser lenta e sob vigilância. Quando sair da água, enxague-o. Evite que bebam água da piscina. Nos dois casos devemos evitar o contato com substâncias químicas, especialmente o cloro, e assim evitar danos a pele/pelo e organismo de modo geral.
-Se há suspeita de que o animal passou por calor excessivo, leve-o para ser examinado por um médico-veterinário. Não tente decidir se o animal precisa de cuidados, só o médico-veterinário pode avaliar a situação. Alguns danos não são visíveis e precisam de exames.
-Tenha sempre, em um local de fácil acesso (no celular ou colado na geladeira, ...), o número do médico-veterinário de sua confiança. (muitos não tem e perdem tempo precioso procurando).

Sempre que suspeitar de qualquer anormalidade com seu animal, consulte imediatamente um médico-veterinário. Só ele saberá lhe orientar sobre a saúde de seu animal.



Compartilhar   Compartilhar   Imprimir
Voltar   Página Inicial   Topo