Atendimento: 48 3953-7700           

Exportação de carne de frango registrou recorde em 2022

11 de janeiro de 2023

O Brasil encerrou o ano de 2022 com recorde nas exportações de carne de frango. De janeiro a dezembro, foram 4,822 milhões de toneladas, alta de 4,6% em comparação com 2021. A receita foi de US$ 9,762 bilhões, aumento de 27,4% na mesma comparação. Os dados são da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que representa a indústria do setor.

O presidente da entidade, Ricardo Santin, destaca, em comunicado, que a indústria brasileira foi beneficiada pelo que chamou de reorganização do mercado internacional de proteína animal . Além da guerra entre Rússia e Ucrânia, houve aumento de custos na União Europeia e agravamento do quadro sanitário mundial, com o avanço da gripe aviária em importantes produtores. O Brasil, que nunca registrou casos e é livre de Influenza Aviária, se manteve como porto seguro para o suprimento global de carne de frango , analisa.

O principal destino do frango brasileiro no ano passado foi a China, mesmo com uma redução de 15,6% no volume importado. Entre janeiro e dezembro, os embarques somaram 540,5 mil toneladas. Segundo principal mercado, os Emirados Árabes Unidos aumentaram as compras em 14,2%, totalizando 444,9 mil toneladas. De acordo com Ricardo Santin, o desempenho no mercado externo ajudou a amenizar a alta dos custos de produção do setor, principalmente em função do aumento das cotações dos grãos usados na ração dos planteis. O presidente da ABPA avalia que, neste aspecto, 2022 foi um dos piores anos para a avicultura.

Esperávamos uma queda do preço do milho, com uma grande safra existente. E isso não aconteceu. Os custos aumentaram em patamares muito grandes , destaca o executivo, em vídeo divulgado pela Associação. Mas esse recorde histórico em vendas ajudou a reequilibrar a equação financeira das empresas , diz. Na mensagem em vídeo, Santin destaca ainda que a cadeia produtiva da carne de frango conseguiu atingir recorde de exportações sem deixar de atender o mercado interno. Segundo ele, a oferta interna do produto aumentou 1% em 2022, na comparação com 2021.

2023


Ricardo Santin avalia que os mesmos fatores que favoreceram as exportações de carne de frango do Brasil em 2023 ainda se mantêm. Desta forma, ele acredita que o setor deve, pelo menos, manter as médias embarcadas acima das 400 mil toneladas por mês, o que também é um patamar histórico. Os prognósticos são positivos. Mas sempre lembrando. Foi uma indústria que teve que ser muito resiliente, desde o início da pandemia, e especialmente em 2022, com aumentos de custos. E, mesmo assim, não diminuiu a produção para manter a oferta no mercado interno e contribuir com a segurança alimentar global , resume o executivo.

GLOBO RURAL