Exportações do agronegócio batem recorde. Setor de carnes em segundo lugar

11 de novembro de 2022

As exportações do agronegócio em outubro de 2022 foram recorde para o mês, atingindo a cifra de US$ 14,25 bilhões. O valor foi 61,3% superior na comparação com o que foi vendido ao exterior em outubro de 2021.Depois do complexo de soja, que é o principal setor exportador do agronegócio brasileiro (25,8% de participação), em segundo lugar está o setor de carnes (16,0%)de participação). As vendas externas de carnes suplantaram novamente a marca de dois bilhões de dólares, chegando a US$ 2,28 bilhões (+50,8%).

Carne bovina

As vendas externas de carne bovina in natura bateram recorde histórico, chegando a 188,56 mil toneladas exportadas (+129,4% - comparação entre os meses de outubro de 2022 com outubro de 2021). Esta quantidade com preço 13,3% superiores geraram receita de exportação de US$ 1,10 bilhão (+159,9%). O mercado que possibilitou essa forte expansão do volume exportado foi a China. O país asiático importará 3,14 milhões de toneladas de carne bovina em 2022, segundo projeção do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Com esse volume de importação e produção de 7,12 milhões de toneladas, a China consumirá 10,24 milhões de toneladas ou cerca de 80% do consumo norte-americano de carne bovina. Os três maiores compradores de depois da China, são a Rússia, Chile e Filipinas.

Carne de frango

As exportações de carne de frango caíram em quantidade (-0,7%), mas registraram expansão do valor exportado em 15,0% em função da elevação dos preços médios de exportação do produto (+15,8%). Nesse contexto, as vendas externas de carne de frango foram de US$ 804,67 milhões. Os principais mercados importadores de carne de frango in natura brasileira foram: China; Japão; Emirados Árabes Unidos. A queda na quantidade exportada para os três principais importadores de carne de frango in natura do Brasil explica a redução do volume comercializado em outubro


Carne suína


As exportações de carne suína apresentaram um comportamento muito parecido com a carne de frango, com queda de 0,4% no volume exportado e incremento de 9,2% no preço médio de exportação. A China é o maior país importador de carne suína brasileira com participação de 48,7% do volume exportado pelo Brasil em outubro, todavia, a recuperação da produção do país para 51,0 milhões de toneladas em 2022 ou 47% da produção mundial, colocou novamente a China numa posição mais próxima da autossuficiência.
A projeção é de consumo chinesa é de 52,7 milhões de toneladas. Logo, a necessidade de importação é estimada em 1,7 milhão de toneladas neste ano de 2022. Os maiores importadores de carne suína in natura brasileira em outubro foram: China, Chile, Hong Kong e Vietnã.

MAPA
Foto: Canva Pro